Voltar ao site

A fome é um projeto político, sua erradicação também precisa ser

É muito perverso ver que após décadas a fome é cotidiana para 33 milhões de brasileiros

· Notícias,Na Mídia

No início deste ano, uma reportagem na TV denunciou o recente agravamento da fome no Brasil. Na matéria, pessoas que viviam em insegurança alimentar em 2001 foram revisitadas, para elas o quadro de fome e miséria permanecera ou até piorara. Algumas nem puderam dar seu depoimento, porque morreram por falta de comida.

Ver que após décadas a fome é cotidiana para 33 milhões de brasileiros —de acordo com os dados da Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (Rede Penssan)— é muito perverso, mais ainda se consideramos que nosso país conquistou uma melhora significativa desse quadro em 2014, quando saiu do Mapa da Fome da ONU.

Desde então, porém, o enfraquecimento ou extinção de políticas públicas de segurança alimentar, somada às consequências da pandemia, nos jogaram de volta a uma situação gravíssima.