Voltar ao site

Ação da Cidadania envia duas mil cestas básicas para famílias carentes de AL

· Notícias,Na Mídia

A fome não é uma criação da pandemia, antes mesmo do Coronavírus ela já existia e agora, só se agravou. Diante desta realidade tão cruel é que a Ação da Cidadania vem arrecadando e doando cestas básicas para todo o Brasil por meio da campanha do Brasil Sem Fome .
 

Desta vez, 2 mil famílias em Alagoas foram beneficiadas neste fim de semana (11/04) com 20 toneladas de alimentos, especialmente os moradores de Maceió e do povoado de Joaquim Gomes. Para evitar aglomerações, as cestas foram entregues às famílias de maneira escalonada, definida pelos comitês regionais, em horários e locais estabelecidos.
 

“As doações em Alagoas vão para famílias que já estão sofrendo com a falta do auxílio emergencial ou de muita vulnerabilidade, localizadas em áreas de difícil acesso e de falta de infraestrutura. Por isso, estamos tentando ajudar o máximo possível essas pessoas”, conta Rodrigo “Kiko” Afonso, Diretor Executivo da Ação da Cidadania.
 

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Alagoas tem hoje quase 600 mil pessoas na extrema pobreza e é o segundo estado do país nesta situação, perdendo apenas para Maranhão. Os números dão conta que o estado alagoano avançou gradativamente no quesito de extrema pobreza. Em 2015, a população que vivia nestas condições era de 12,5%; em 2018, subiu para 17,2%, uma escalada de 4,7 pontos percentuais.
 

“As cestas entregues minimizam uma situação pontual, mas é preciso muito mais. A Ação da Cidadania entende que essas doações vão ajudar e suprir a necessidade do momento, mas é necessário que o governo pense a longo prazo e desenvolva políticas públicas mais eficientes para que isso não volte a acontecer”, ressalta Kiko.
 

DADOS DA FOME – Estudos recentes da Rede Penssam com o Instituto Ibirapitanga, a ActionAid Brasil, a Fundação Friedrich Ebert Stiftung e a Oxfam Brasil dão conta que, durante a pandemia, a fome atingiu 19,1 milhões de brasileiros, que é mais da metade dos lares do país (55,2%). E a quantidade de pessoas em insegurança alimentar no Brasil é de 116,8 milhões.
 

Outro dado alarmante é o da Fundação Getúlio Vargas (FGV), que revela que, nos últimos seis meses, a pobreza praticamente triplicou no Brasil. São 9,5 milhões de pessoas que já passavam fome em agosto de 2020 e, no mês passado, já alcança mais de 27 milhões.